• Dr. César Castellan

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS NO OUTONO-INVERNO, COMO PREVENIR?

Atualizado: Set 21

A melhor maneira de proteger os seus pulmões é impedindo que substâncias e elementos agressivos como o cigarro, poluentes e principalmente germes como os vírus da gripe e resfriados ou bactérias e fungos atinjam suas vias aéreas. Isso vai evitar o desenvolvimento de doenças e suas possíveis complicações.



POR QUE AS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS PIORAM NO OUTONO-INVERNO ?

Com a chegada do outono-inverno, das mudanças bruscas de temperatura, do frio com períodos de tempo seco e uma menor dispersão dos elementos poluentes, fazem com que a qualidade do ar respirado piore, provocando irritação nas mucosas respiratórias, alterando suas defesas naturais e deixando-as mais vulneráveis para a instalação de infecções respiratórias. Este cenário associado à tendência de aglomerações em locais fechados faz com que aumente a propagação dos vírus e bactérias que acabam se transmitindo de pessoa a pessoa com maior facilidade, causando os resfriados e gripes que na sequencia podem evoluir para quadros de sinusite, traqueobronquite e pneumonia. As pessoas já portadoras de doenças respiratórias crônicas, tais como a Asma, a DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) ou a rinite alérgica precisam ter cuidados extras pois têm maior tendência a apresentar crises de exacerbação nesta época do ano.

QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS QUE SE AGRAVAM NO INVERNO?

  • A Asma é uma doença inflamatória dos brônquios de causa alérgica. A pessoa portadora apresenta uma reação exagerada das paredes brônquicas (chamada de hiper-reatividade) aos estímulos externos, que podem ser poluentes ambientais ou mesmo domésticos, como os ácaros, animais de estimação ou fumaça do cigarro. O tempo frio e mudanças bruscas de temperatura, o uso de aquecedores domésticos que ressecam o ar,as lareiras e o fogões à lenha também são potenciais fatores desencadeadores das crises. Os sintomas clássicos são a tosse seca, chiado no peito e a falta de ar. O tratamento é feito à base de medicações antiinflamatórias por via inalatória, que tem o objetivo de tratar a causa do processo e prevenir o portador de desenvolver crises quando exposto a estes fatores.

  • A DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Cronica) é uma combinação de Bronquite Crônica e Enfisema Pulmonar, alterações irreversíveis que ocorrem nos brônquios e pulmões de fumantes. Também evoluem com crises, chamadas exacerbações, que podem ser mais freqüentes nesta época do ano. Os sintomas clássicos são a falta de ar, tosse persistente com produção de escarro, pigarro crônico e chiado no peito. A melhor prevenção para esta doença é a cessação do tabagismo. O tratamento é baseado no uso de medicações broncodilatadoras inalatorias e nos estágios mais graves em associação com antiinflamatórios também inalados.

  • As Pneumonias são infecções do pulmão, que podem ocorrer em qualquer época e em qualquer pessoa, mas sabemos que fumantes estão mais predispostos a isso, pois já apresentam uma colonização crônica por bactérias na sua árvore respiratória (bactérias habitualmente vivem nos seus brôquios). Os doentes respiratorios crônicos, idosos e imunossupridos também são mais vulneraveis. No outono-inverno a sua incidência aumenta pois geralmente decorrem de um quadro gripal anterior, e os virus de gripe abrem as portas das defesas pulmonares para a penetração de bactérias no seu interior, desencadeando a pneumonia. Os sintomas clássicos são a tosse, febre, falta de ar e dor torácica, geralmente ao respirar. O início é repentino, com grande queda do estado geral do doente. O tratamento é baseado em antibioticos, antitermicos, repouso e exercícios de fisioterapia respiratória, além de acompanhamento médico.

COMO PODEMOS NOS PREVENIR DESSAS DOENÇAS?

A melhor maneira de prevenir agravamentos das doenças prévias ou o surgimento de infecções no outono-inverno se baseia em 4 pilares básicos:

1) Mantendo suas doenças crônicas tratadas e controladas.

  • Se você for portador de alguma patologia crônica, nunca abandone o seu tratamento ou reduza por conta própria o uso das medicações de rotina que mantém sua doença estabilizada.

  • Faça exames de rotina regulares.

2) Mantendo e estimulando sua imunidade natural:

  • Tenha hábitos saudáveis como uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, fibras, carnes magras e evite alimentos ultraprocessados. Isso vai garantir um aporte de nutrientes e vitaminas suficientes para manter sua imunidade em dia, prevenindo assim adquirir infecções.

  • Mantenha boa hidratação, mínimo de 2 litros de água/dia.

  • Faça alguma atividade física regular, podendo ser caminhadas de 30 minutos 3 vezes na semana ou conforme orientação médica.

  • Não fume.

  • Gerencie o stress e a ansiedade com medidas de lazer e relaxamento periódicas.

3) Evitando contato com os vírus de gripe e bactérias e estimulando a produção de anticorpos contra eles:


  • Faça vacina contra Gripe (tetravalente) que é uma importante medida de prevenção, pois o principal mecanismo desencadeador das crises no outono-inverno são as infecções por vírus respiratórios. Ela não previne contra vírus novos ou mutantes, mas previne contra os virus influenza mais agressivos, entre eles o H1N1 e o H3N2.

  • Evite aglomerações em lugares fechados e mal ventilados.

  • Evite exposição a mudanças bruscas de temperatura, contato com a fumaça do cigarro e animais dentro de casa.

  • Mantenha os ambientes de casa e trabalho bem ventilados permitindo entrada de ar natural mantendo janelas abertas.

  • Realize periodicamente e frequentemente a higienização das mãos com água e sabão ou com álcool-gel após tocar superfícies em locais públicos e evite de levar as mãos ao nariz, olhos e boca.

  • Se você ou alguém estiver gripado, além das orientações acima, mantenha distância mínima de 2 metros ao interagir com outras pessoas, cubra a boca e nariz com um lenço de papel descartável ao tossir ou espirrar e após coloque-o no lixo. Em ambientes que não for possivel o distanciamento mínimo, use máscara cirúrgica descartável para evitar a disseminação do vírus.

  • Fazer a vacina contra Pneumonia que previne a infecção pelas principais cepas de pneumococos, as bactérias que mais frequentemente provocam infecção pulmonar.

4) Consultando regularmente seu pneumologista de confiança

  • Importante você ter um profissional que conheça suas doenças, saiba como elas se comportam e acompanhe a evolução do seu tratamento. Assim poderá sempre lhe assessorar e lhe dar o melhor tratamento possível.

  • Lembre-se: A Asma e o DPOC não tratados e não controlados podem levar a crises fatais, assim como as gripes pelos vírus influenza e pelo novo coronavírus podem levar a graves quadros de pneumonia.

  • Portanto não negligencie sua saúde. Previna-se e proteja-se.


26 visualizações

CONSULTÓRIOS EM PORTO ALEGRE/RS:

24 de Outubro, 1681. Sala 301 e 302 - Moinhos de Vento. Tel. (51) 3333.2692 | WhatsApp (51) 99911.0395

Andradas, 1727. Sala 85 - Centro. Tel. (51) 3221.7574

  • icone_edited
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco

© 2020 Dr. Cesar Castellan. Todos os direitos reservados.