Bubbles limpas

FIBROSE PULMONAR

O QUE É FIBROSE PULMONAR?

 

O pulmão é responsável por importantes funções, sendo que a mais nobre delas é promover as trocas gasosas de oxigênio e gás carbônico que ocorrem nos alvéolos pulmonares.  A estrutura que dá suporte para os alvéolos é chamada de INTERSTÍCIO que possui um aspecto de “rede” e é composto por diversos tipos de células e  componentes não celulares. As doenças que acometem o interstício são chamadas DOENÇAS INTERSTICIAIS, e entre elas está a Fibrose Pulmonar. O termo fibrose significa “tecido cicatrizado”. Portanto, quando um processo  inflamatório atinge esta rede que dá suporte ao pulmão, na sequência poderá ser desencadeada uma “cicatrização anômala” com deposição excessiva de colágeno nesta estrutura, o que vai tornar os pulmões mais rígidos e endurecidos (fibrosados), prejudicando as trocas gasosas e reduzindo a sua elasticidade natural. Como consequência teremos uma dificuldade na oxigenação e na expansão pulmonar provocando  a falta de ar. Existem várias doenças pulmonares fibrosantes, sendo a mais conhecida e grave a Fibrose Pulmonar Idiopática. 

QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS CAUSAS DE FIBROSE PULMONAR?

  • Exposição a poeira orgânica ou substâncias tóxicas

  • Doenças reumáticas

  • Induzida por medicamentos

  • Tabagismo

  • Sequela de outras doenças pulmonares crônicas, como sarcoidose

  • Defeito genético (Fibrose Pulmonar Familiar)

  • Causa desconhecida (Fibrose Pulmonar Idiopática)

QUAIS SÃO OS SINTOMAS PRINCIPAIS DE FIBROSE PULMONAR?

O principal sintoma é a falta de ar que geralmente é progressiva, se agravando ao longo do tempo. Alguns pacientes podem apresentar tosse seca associada, cansaço, extremidades com coloração azulada devido a redução progressiva da oxigenação no sangue e até sensação de desmaio aos esforços conforme a gravidade da doença.

 

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO DE FIBROSE PULMONAR?

 

Como existem diversas causas de doenças intersticiais fibrosantes e algumas são idiopáticas (ou seja, sem causa conhecida), o diagnóstico depende de informações detalhadas da história clínica e das características radiológicas na tomografia de tórax. Exames laboratoriais de auto-imunidade e reumatológicos são importantes no diagnóstico diferencial bem como histórico de fibrose pulmonar na família e o uso de medicações crônicas que podem provocar lesões nos pulmões.  Em alguns casos, é necessário biópsia pulmonar que poderá ser feita através de fibrobroncoscopia via endoscópica ou cirurgia por vídeo.

QUAL É O TRATAMENTO PARA FIBROSE PULMONAR?

 

O tratamento vai depender do tipo de doença intersticial que está induzindo a fibrose. Em alguns casos, as alterações são decorrentes de exposições ambientais e o tratamento envolve a retirada dos fatores desencadeantes (por exemplo, em alguns pacientes com diagnóstico de pneumonite por hipersensibilidade decorrente da exposição a mofo ou aves domésticas). Em outras situações, pode ser necessário tratamento com corticóides ou imunossupressores. Em outras haverá a indicação de medicamentos antifibróticos. A oferta de oxigênio pode também ser necessária, bem como indicação de transplante de pulmão nos casos mais avançados. 

Somente uma avaliação minuciosa com um pneumologista conseguirá definir qual a melhor estratégia terapêutica, que será personalizada caso a caso. 

DR. CESAR CASTELLAN

PNEUMOLOGISTA

CREMERS 18204 | RQE 8919

Prefere telefonar?

Clique aqui

CONSULTÓRIOS EM PORTO ALEGRE/RS:

24 de Outubro, 1681. Sala 301 e 302 - Moinhos de Vento. Tel. (51) 3333.2692 | WhatsApp (51) 99911.0395

Andradas, 1727. Sala 85 - Centro. Tel. (51) 3221.7574

  • icone_edited
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco

© 2020 Dr. Cesar Castellan. Todos os direitos reservados.